21/06/2015

17/06/2015

será que era da artista?

um dia eu fui num museu e, olhando uma tela, encontrei um cabelo.
registrei.
nem lembrava mais disso, mas agora achei aqui:


22/04/2015

palavras para os últimos dias:


liberdade . paz . esperança . otimismo . alegria . bem-estar . motivação . atenção . percepção . gratidão .


28/03/2015

06/03/2015

eu A M O


recadinhos-surpresa.

o mundo é um lugar mais bonito, sorridente e amoroso com eles.




05/03/2015

viva a arte!


é por isso.
é por isso que eu amo a arte.

a música, a dança, o teatro, o cinema, a literatura. tudo. 

os dois últimos espetáculos musicais que eu presenciei - um deles esta noite - me arrancaram lágrimas dos olhos. e depois sorrisos. e muitos pensamentos. e recordações. e arrepios. e deleite.

e então, nessas horas, eu penso: é isso! é por isso!

que bom que existe essa coisa que eu não sei bem como conceituar, mas que sei sentir.
que bom que existe isso que nos transporta para o mundo do artista, para o nosso mundo interior, para o mundo das memórias e para tantos lugares sem sair de uma cadeira; apenas pelo desfrute dos sentidos.

ainda bem que em meio a tanta loucura existe a arte para extraordinarizar uma quinta-feira a noite qualquer.

<3

03/03/2015

um conselho pra vida.


NÃO FAÇA PERGUNTAS E NÃO LHE DIRÃO MENTIRAS.

Disse Stuart, personagem do livro "Em Tom de Conversa", de Julian Barnes.

-

E  mais que isso: também não lhe dirão verdades inconvenientes.
Quer saber?
Não faça perguntas, ponto.

-

Eu não devia ter feito uma pergunta hoje. Estaria melhor sem a resposta.


25/02/2015


um jeito prático mágico de resolver as coisas: d i á l o g o .



19/02/2015

11/02/2015


não é uma tristeza de rasgar o peito.

é um tipo de tristeza que eu nunca senti.

leve, tranquila.

assim.







10/02/2015

meditando (?)


Primeiro dia. 10 minutos de meditação. Nenhum insight.
Penso que talvez eu medite muito mais quando escrevo do que quando faço silêncio, embora eu nunca tenha me dedicado realmente com afinco à segunda opção.

Eu fico me perguntando em que lugar de mim, será, estão as minhas respostas.

Palavra: B U S C A .

Tiro a roupa. Adoro estar nua. Sinto-me livre.
É um dos meus sonhos ir a uma praia de nudismo e deitar na areia, completamente despida, e sentir o sol.

Gritar. Eu queria muito gritar.

Dançar. Pular numa cama elástica. Ser trapezista. Flutuar.

Se eu não tivesse medo, sairia agora de bike por aí.
Quantas coisas mais eu faria se não tivesse medo?
Eu sairia do meu trabalho. Eu viveria em Curitiba. Eu me declararia. Eu exporia na internet as minhas fotos nua. Eu iria para o meio da rodovia, a noite, para ver as estrelas, sozinha. Eu iria dançar na beira da praia, bem cedinho, com o sol nascendo. Eu entraria no mar de noite. Eu participaria do ritual no qual se toma ayahuasca. Eu experimentaria bala. Eu sairia para caminhar de madrugada. Eu transaria com uma mulher. Eu transaria com uma mulher e com um homem ao mesmo tempo. Eu chamaria certas pessoas de certas coisas que eu não posso, porque "manda quem pode, obedece quem precisa". Eu... sei lá.

Mas sobretudo, eu não reprimiria sentimento algum.


09/02/2015

09.02.2015


nunca fez tanto sentido para mim, como nesta manhã, o título de um dos livros do Bukowski:

O AMOR É UM CÃO DOS DIABOS

25/01/2015

estrelinha interior.


aí dentro deste corpo existe uma estrela a cintilar.

a tua natureza
vai se descobrindo aos poucos:
mais do que sonhar,
é acreditar.


23/01/2015

fotografia: ferramenta para olhar.


quanta história oculta nas pessoas com quem convivo eu desconheço?
quanta beleza e encanto eu posso descobrir se eu mudar a minha maneira de olhar?
quanto a minha postura pode me impedir ou me fazer ver?
quanto eu posso modificar a minha realidade e a de quem me cerca por meio da fotografia?





as respostas eu estou descobrindo.


17/01/2015

gato de sorte.


na próxima encarnação eu quero ser sua gata, não sua namorada.
quem sabe assim eu arranco de você a ternura transbordante que só no contato entre você e esse seu quadrúpede peludo você consegue entregar.



16/01/2015

moça-formiguinha II


será que assim como me sinto dentro dessa sala sente-se o passarinho preso na gaiola?


14/01/2015

14.01.2015


uma sacola voando ao sabor do vento, agitado, porque uma tempestade se anuncia.


12/01/2015

moça-formiguinha.



Olha, eu não tenho nada com isso, mas vejo você aí, moça, com essas botas de operária numa segunda-feira de manhã, trajada de dia-útil, caindo de sono pelas calçadas que você percorre rumo ao trabalho (aquele que você acha um saco) e só consigo pensar o seguinte: por que diabos você não troca estes calçados por um par de asas?



07/01/2015


eu: bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla  *-*

você: bla